risco elétrico

Partilhe este artigo

Como o Risco Elétrico está presente no local de Trabalho?

Embora o seu local de trabalho possa não parecer um ambiente de alto risco de lesões elétricas, todas as empresas devem ter em consideração a segurança elétrica.

Equipamentos elétricos mal conservados ou usados incorretamente podem provocar incêndios, choques elétricos ou eletrocussão, resultando em lesões ou morte que podem mudar a vida. Este artigo descreve os riscos elétricos a ter em conta e a forma de os gerir no local de trabalho e também ajuda a identificar os mais comuns, desde equipamentos danificados a tomadas sobrecarregadas.

Saiba se o risco elétrico está presente no local de trabalho e como proteger o seu pessoal.

Logo à partida sobre este tema é essencial referir o documento intitulado Regras Técnicas das Instalações elétricas de Baixa Tensão (RTIEBT), definidas pela Portaria nº 949-A/2006, de 11 setembro, que especificam as normas pelas quais a organização e a utilização de instalações elétricas, assim como o uso da energia elétrica, devem ser reguladas e como podem afetar o seu negócio.

Estes regulamentos têm em vista assegurar a segurança de todos os utilizadores assim como garantir que existem aspetos necessários e importantes para que as atividades económicas progridam, limitando ao máximo estragos materiais.

Outro fator importante a ter em conta é que cada empresa pode ajudar a manter o local de trabalho protegido contra um risco elétrico através de cursos de formação em Segurança Elétrica adaptados aos trabalhadores, ajudando-os a identificar os riscos elétricos no trabalho e como lidar com eles.

Quais são os Regulamentos de Eletricidade no Trabalho?

Para as Entidades Patronais, manter um local de trabalho saudável e seguro é vital e a segurança elétrica faz parte disso.

Além disso, os empregadores são obrigados por lei a proporcionar um local de trabalho seguro. Assim, conforme acima referido, em Portugal, a legislação que rege esta condição é a Lei nº102/2009 de 10 de Setembro e respetivas alterações, sendo obrigação do empregador garantir condições de trabalho seguras e saudáveis a todos os trabalhadores.

As leis estabelecem uma norma mínima e obrigatória imposta pelo estado e regulada por uma entidade externa, neste caso a ACT (Autoridade para as Condições de Trabalho), que pode determinar sanções por violação das regras.

Todos os anos, acontecem mais de mil acidentes de trabalho envolvendo eletricidade que são comunicados à ACT e cerca de 30 pessoas morrem por lesões causadas por risco elétrico.

De acordo com as RTIEBT, os empregadores devem garantir que todos os equipamentos elétricos sejam seguros. Devem ser verificados, devidamente instalados e regularmente inspecionados e mantidos por um técnico qualificado.

As Entidades Patronais devem realizar uma avaliação dos riscos sobre quaisquer perigos elétricos. Esta avaliação deve especificar quem pode ser afetado por estes riscos, como foi estabelecido o nível de risco e as precauções que foram tomadas para controlar o risco. Devem também ter pessoal com formação em segurança elétrica no local de trabalho.

Os empregadores também são obrigados a reportar determinados incidentes e lesões à ACT.

Os empregadores correm o risco de estarem sujeitos a multas por não cumprirem os regulamentos, pelo que é essencial estar ciente dos riscos elétricos no local de trabalho.

Que lesões podem ser causadas por um risco elétrico?

As principais lesões causadas por um risco elétrico são:

Eletrocussão;

Queimaduras elétricas, que ocorrem quando a corrente elétrica entra e sai do corpo;

Choque elétrico causado quando o contacto é feito com um fio ou equipamento sob tensão que não estejam ligados à terra;

Lesões secundárias resultantes dos efeitos do choque, como ser lançado ao chão ou cair de uma escada.

Quais são os 8 riscos elétricos mais comuns

Muitos aparelhos e equipamentos no local de trabalho apresentam um risco elétrico, mas os perigos mais comuns são:

Equipamentos e ferramentas elétricas danificados

O uso de equipamentos elétricos danificados, como ferramentas elétricas de construção, pode ser muito perigoso. Ferramentas e equipamentos avariados não devem ser usados até que sejam consertados e certificados por um técnico qualificado para o efeito.

Cabos elétricos desgastados, soltos ou expostos

Os cabos elétricos de equipamentos contêm fios sob tensão isolados de forma segura. Se o cabo estiver desgastado ou partido, o fio sob tensão pode ficar exposto e provocar incêndios ou choques elétricos. Cabos danificados devem ser reportados e reparados por um técnico qualificado e não devem ser fixados temporariamente com fita adesiva.

Utilização de equipamentos elétricos próximo de água ou com as mãos molhadas

A água pode aumentar significativamente a possibilidade de eletrocussão, pelo que, equipamentos elétricos não devem ser usados próximo de uma fonte de água ou operados com as mãos molhadas. Se um equipamento se molhar, um eletricista qualificado deve inspecioná-lo antes de ser utilizado novamente.

Linhas elétricas suspensas

A alta tensão nas linhas elétricas aéreas pode resultar em queimaduras e eletrocussão significativas. Se existirem trabalhadores a operar próximo de linhas elétricas aéreas é recomendável que seja mantida uma distância mínima de 3 metros das linhas e equipamentos próximos. Não armazene equipamentos ou materiais sob linhas elétricas aéreas e use barreiras e sinalética de segurança para alertar outras pessoas sobre o perigo.

Utilização incorreta de fusíveis de substituição

Se estiver a instalar ou substituir um fusível, deve utilizar o fusível correto para o aparelho para que ele não sobreaqueça. Verifique o manual ou a etiqueta do aparelho para saber a potência e o fusível correto requerido.

Tomadas sobrecarregadas

Muitos escritórios estão cheios de computadores e outros equipamentos que precisam de ser ligados, muitas vezes com muitos cabos de extensão e adaptadores que podem resultar num esparguete de cabos e fichas. De preferência, uma tomada individual devia fornecer eletricidade a um único aparelho, tal como um monitor de computador ou uma impressora.

Se for necessário alimentar vários aparelhos a partir de uma única tomada, utilize um cabo de extensão de barra multi-direcional com fusível e com proteção contra sobre-tensões, em vez de depender de um adaptador de bloco básico ao ligar equipamentos adicionais.

Não sobrecarregue o cabo de extensão ligando vários aparelhos que excedam o nível máximo de corrente elétrica indicado para o cabo de extensão. Nunca ligar uma extensão noutra extensão.

Fumo e cheiros do equipamento

Um cheiro a plástico quente, faíscas ou fumo proveniente de fichas, aparelhos ou tomadas são sinais de perigo elétrico, por isso, fique atento a esses sinais de perigo. Obtenha ajuda de um técnico qualificado e desligue a alimentação elétrica de qualquer equipamento que pareça desenvolver uma falha elétrica.

Ligação à terra inadequada

Todos os equipamentos e dispositivos elétricos devem ser ligados à terra ou aterrados. Caso contrário, corre-se o risco de eletrocussão. Certifique-se de que o equipamento elétrico é periodicamente verificado e certificado por uma pessoa qualificada.

Quem está mais sujeito a um risco elétrico?

Engenheiros, eletricistas, técnicos e trabalhadores de linhas aéreas estão entre as profissões mais expostas a um risco elétrico. A instalação, reparação, inspeção e manutenção de equipamentos elétricos são atividades comuns que conduzem a acidentes.

Os trabalhadores agrícolas também correm um risco elevado porque as máquinas ou equipamentos podem entrar em contacto com linhas elétricas aéreas em terras agrícolas.

Em média, um trabalhador agrícola morre dessa forma todos os anos e, nos cinco anos anteriores a 2018, registaram-se 1.140 incidentes envolvendo máquinas e equipamentos em contacto com linhas aéreas de energia elétrica, onde existia a possibilidade de lesões graves ou morte.

No entanto, a maioria dos locais de trabalho apresentam alguns riscos elétricos. O elevado volume de equipamentos elétricos na maioria dos escritórios pode expor os trabalhadores a choques, queimaduras e incêndios.

Lista de verificação de avaliação de riscos elétricos mais comuns

As Entidades Patronais devem certificar-se que todos os trabalhadores estão cientes da segurança elétrica no trabalho.

Os funcionários devem ser incentivados a ficar atentos a quaisquer riscos, caso detetem equipamentos com defeito, devem informar o supervisor ou quem estiver no comando. O equipamento deve deixar imediatamente de ser utilizado e deve ser verificado por uma pessoa qualificada.

Seguidamente, existem algumas precauções a ter em conta:

Certificar-se de que os trabalhadores sabem como utilizar equipamentos elétricos com segurança.

Assegurar-se de que existem tomadas suficientes disponíveis para que não fiquem sobrecarregadas.

Desligar e tirar da tomada os aparelhos antes de proceder à sua limpeza.

Todos os aparelhos devem ser desligados no final do dia.

Ficar atento a cabos soltos que possam fazer tropeçar ou cair as pessoas.

Certificar-se de que qualquer colaborador que trabalhe com eletricidade tenha recebido formação adequada.

Manter os pisos e superfícies de trabalho secos para que equipamentos elétricos não entrem em contacto com água ou outros líquidos.

Manter uma distância livre mínima de um metro em frente aos painéis elétricos.

Os cabos elétricos não devem ser usados em áreas de tráfego intenso, em vãos de portas ou sob tapetes, pois podem ser danificados e causar acidentes.

Tags

Partilhe este artigo

Luís Paulo
Assistente de Comunicação e Marketing
14 de Julho de 2023

Deixe um comentário

Mantenha-se actualizado

Registe-se e receberá as ultimas novidades sobre os nossos produtos e serviços

  • © 2023 TECNIQUITEL S.A. | Todos os direitos reservados | by ALMABRAND